A poucos passos de criar a universidade pública distrital

Primeira turma de alunos da Escola Superior de Gestão concluirá curso no final deste ano. Nova formação deve sair no próximo semestre

A poucos passos de criar a universidade pública distrital
Metodologia de ensino utiliza repartições públicas do GDF como salas de aula para melhorar a capacitação dos alunos | Arte: Divulgação/ESG

Eles somam 26 alunos e, no final de 2021, estarão diplomados para gerir com mais capacidade o serviço público no Governo do Distrito Federal. Em mais um passo rumo à criação da primeira universidade pública distrital, a Escola Superior de Gestão (ESG) se prepara para formar a primeira turma do curso de tecnologia em gestão pública.

Voltada a servidores — e com vagas abertas também à sociedade civil —, a formação da ESG aplica metodologia de ensino que, em parte do curso, transforma repartições do GDF em salas de aula. Isso acontece em secretarias associadas à escola, onde os alunos enfrentam a problematização do atendimento e buscam ali a solução para a melhoria do serviço prestado à população.

A servidora Aniele Cavalcante de Carvalho está no terceiro semestre e é uma das alunas a concluir o curso no final do ano. Para ela, todo o conhecimento adquirido na formação já vem sendo aplicado na sua realidade. “Tudo o que venho aprendendo coloco em prática na Secretaria de Saúde, onde exerço um cargo de gerência”,  afirma.

“É uma oportunidade de qualificação e desenvolvimento profissional para os servidores, inseridos em uma estratégia de valorização do nosso funcionalismo”André Clemente, secretário de Economia

Nova turma

A ESG funciona por meio de um termo de cooperação técnica firmado entre a Secretaria de Economia (Seec), por intermédio da Escola de Governo (Egov) e a Fundação Universidade Aberta (Funab) do DF. Atualmente há duas turmas em andamento, com um total de 45 alunos. A expectativa é de que uma nova turma seja aberta no próximo semestre.

“É uma oportunidade de qualificação e desenvolvimento profissional para os servidores, inseridos em uma estratégia de valorização do nosso funcionalismo. Iniciativas como essa refletem em melhorias nas entregas e no atendimento à população do DF”, avalia o secretário de Economia, André Clemente.

Casos reais

A grade curricular do curso de tecnologia em gestão pública é alicerçada em metodologias ativas, com foco na aprendizagem baseada em problemas e problematização. Esse método de ensino tem como fundamento o uso de casos reais da administração pública para promover o conhecimento do estudante.

“Trata-se da construção de uma educação superior pública, gratuita e de qualidade, voltada à população do DF e do Entorno”Juliana Tolentino, diretora da Escola Superior de Gestão

a presença desses profissionais com um olhar mais crítico representará o aperfeiçoamento na prestação do serviço público”, afirma o coordenador do curso, Yonoré de Melo Barros.